Meias Vermelhas de Boston

by

Ontem era meia noite e um estádio em Boston estava lotado. O Fenway Park, tradicional palco dos Red Sox, time de baseball que enfrentava os New York Yankees num clássico nacional. Imagine o calorzinho de uma noite de Boston, cidade do norte estadunidense, num jogo de cerca de 2 horas e meia, paradinho, paradinho. As câmeras fitavam casais torcedores debaixo de seus cobertores, com tocas e luvas. Isso que é paixão! Pelo clube e um pelo outro, claro.

Será que existe alguma coisa errada em ser aficionado por esporte? Realmente apaixonado por um clube de futebol, ou uma modalidade esportiva?

Polêmicas à parte, em que se gasta o tempo pode ser o ponto principal da questão. Pelo menos foi esse o argumento que já me foi apresentado com bastante efusão. Passar mais de duas horas debaixo de um frio congelante para quê? No que isso me prepara para o céu, ou me aproxima de Deus? Pior: será que não me afasta dEle?

Por outro lado, será que é vontade de Deus usarmos viseiras nessa breve passagem pelo mundo, fechando os olhos para qualquer tipo de lazer ou passatempo? Concentrando-se unicamente nos labores do trabalho missionário, nas horas de leitura e estudo da palavra? Parece pouco provável.

Unindo as duas hipóteses, buscando o equilíbrio, parece que começamos a enxergar algo mais sólido. Na verdade, ainda emerge uma terceira, bastante coerente. Primeiro: devemos dedicar tempo ao estudo e ao trabalho missionário, porque é isso que nos faz cristãos de verdade, e não apenas pessoas com um título, como a maioria dos cristãos no mundo. Segundo: devemos ter nossas horas de lazer, descanso e diversão. Deus nos ama, aliás, Ele é o próprio amor, e isso já garante que Ele queira nossa felicidade. Terceiro: cabe a nós saber organizar sabiamente nosso tempo, dando prioridade total a quem merece o primeiro lugar em todas as coisas, sempre.

Uma coisa eu sei. Um dia quero sentar num desses estádios, puxar um cobertorzinho, pedir dois cachorros quentes e assistir bem calmo, acordando a Daiane de vez em quando. Vai entrar para a to do list das viagens. Aliás, os Red Sox ganharam.

Tags: ,

4 Respostas to “Meias Vermelhas de Boston”

  1. Paula Jardim Says:

    Olha Maurício, nos EUA eu não sei, mas aqui no Brasil tá difícil de ter coragem de ir assistir um jogo, de futebol pelo menos.
    Não me esqueço do depoimento emocionado da irmã daquele senhor aposentado que teve a sua mão decepada por uma bomba, ela dizia: – o que fizeram com a mãozinha do meu irmão…

    Ele não estava metido com as torcidas, nem fazendo bagunça. Tava lá na dele, vendo o jogo. A violência que temos aqui é motivo de sobra pra desistir de ir aos estádios.

  2. Daiane P. Morsch Says:

    Agora que estou aprendendo as regras de Baseball acho q não vou dormir não…hehehe.
    Bjoooo

  3. Juliana Jardim Says:

    Eh, acho que o mais importante a ser avaliado nesse tipo de divertimento eh o ambiente. No Brasil realmente fica dificil.. Mas eh legal um joguinho de vez enquando! 🙂

  4. Maurício Morsch Says:

    Ah, com certeza o ambiente lá nem se compara aos nossos estádios.
    Nunca estive lá, mas só o fato de não haver nenhum alambrado ou fosso separando a torcida dos jogadores, já exemplifica o comportamento dos expectadores. Aqui realmente o buraco é bem mais embaixo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: