Archive for abril \30\UTC 2008

Desbravadores Calebe

30 abril 2008

No último sábado, pela manhã, estivemos na igreja adventista Central de PoA, a convite do Clube de Desbravadores Calebe. Pra quem não conhece, os desbravadores são uma gurizada muita animada que gosta de aprender sobre natureza, música, Bíblia, esportes… e exercita o que aprende fazendo trabalhos comunitários, acampando, louvando e falando aos outros sobre Jesus. Obrigada Clube Calebe pelo convite e parabéns pela banda, hein!

Ah! Neste dia, também lançamos a campanha de divulgação do programa de aniversário de 11 anos do EA, acompanhe aqui no blog que daremos mais detalhes…

Baita Ensaio

28 abril 2008

As coisas ainda estão se encaminhando, mas no sábado à tarde sentimos que já estamos quase lá. O ensaio com a banda Sândalo foi demais! Os caras tocam pra caramba e nosso ânimo triplicou. Na foto, os sândalos estão lá em cima, com o ea.

Meio silencioso aqui, não?

25 abril 2008

Bah, não nos leve a mal. Pode parecer que abandonamos as coisas por aqui, mas nosso silêncio será muito bem compensado. Pelo menos é o que esperamos. É que estamos usando a maioria de nossos neurônios na bolação do programa de aniversário do grupo.

Aliás, fique atento. Vamos divulgar bastante a partir dos próximos dias. Sua presença é deveras indispensável!

Vamos fazer assim. Esse fim de semana é nosso primeiro ensaio com a banda – pessoal do Sândalo. Me comprometo de trazer aqui algumas fotos desse encontro na semana que vem, feitoria?

Abraço a todos e feliz sábado!

Vendia o sonho da liberdade

24 abril 2008

 

Sem liberdade o ser humano se deprime, se asfixia, perde o sentido existencial. Sem liberdade, ou ele se destrói ou destrói os outros. Por isso o sistema carcerário não funciona.

 

A prisão exterior mutila o ser humano, não transforma a personalidade de um criminoso, não expande sua inteligência, não reedita as áreas do seu inconsciente que financiam o crime. Apenas imprime dor emocional. Eles precisam ser reeducados, conscientizados, tratados.

 

Jesus falava sobre a falta de liberdade interior, que é mais grave e sutil que a exterior. Vivemos em sociedades democráticas, falamos tanto de liberdade, mas frequentemente ela está longe do território da psique.

 

Existem diversas formas de restrição à liberdade. As preocupações existenciais, os pensamentos antecipatórios, a ditadura da estética do corpo e a exploração emocional das propagandas são algumas delas.

 

Gostaria de destacar a fábrica de ícones construída pela mídia. Os jovens não têm seus pais, professores e os demais profissionais que lutam para vencer profissionalmente como seus modelos de vida.

 

Seus modelos são mágicos: atores, esportistas, cantores que fazem sucesso do dia para noite. Este modelo mágico não tem alicerces, não dá subsídios para suportar dificuldades e enfrentar desafios. Cria uma masmorra interior, sonhos inalcançáveis. Cria uma grande maioria gravitando em torno de uma minoria. Para a psicologia, a supervalorização é tão aviltante quanto a discriminação.

 

Jesus discorria sobre uma liberdade poética. A liberdade de escolha, de construir caminhos, de seguir a própria consciência. Discursava sobre o gerenciamento dos pensamentos, a administração da emoção, o exercício da humildade, a capacidade de perdoar, a sabedoria de expor e não impor as idéias, a experiência plena do amor pelo ser humano e por Deus.

 

O Mestre da vida vivia o que discursava. Não impedia as pessoas de abandoná-lo, de traí-lo e nem mesmo de negá-lo. Nunca houve alguém tão desprendido e que exercitasse de tal forma a liberdade.

 

Augusto Cury l Nunca Desista de Seus Sonhos l p. 33

Série 5 minutos 

 

Vida Cristã

17 abril 2008

Cristo veio a este mundo para mostrar que, mediante o recebimento de poder do alto, o homem pode levar vida impoluta.

Ellen G. White
 l A Ciência do Bom Viver  l p. 25

Série 5 minutos  (num 13)

Meias Vermelhas de Boston

14 abril 2008

Ontem era meia noite e um estádio em Boston estava lotado. O Fenway Park, tradicional palco dos Red Sox, time de baseball que enfrentava os New York Yankees num clássico nacional. Imagine o calorzinho de uma noite de Boston, cidade do norte estadunidense, num jogo de cerca de 2 horas e meia, paradinho, paradinho. As câmeras fitavam casais torcedores debaixo de seus cobertores, com tocas e luvas. Isso que é paixão! Pelo clube e um pelo outro, claro.

Será que existe alguma coisa errada em ser aficionado por esporte? Realmente apaixonado por um clube de futebol, ou uma modalidade esportiva?

Polêmicas à parte, em que se gasta o tempo pode ser o ponto principal da questão. Pelo menos foi esse o argumento que já me foi apresentado com bastante efusão. Passar mais de duas horas debaixo de um frio congelante para quê? No que isso me prepara para o céu, ou me aproxima de Deus? Pior: será que não me afasta dEle?

Por outro lado, será que é vontade de Deus usarmos viseiras nessa breve passagem pelo mundo, fechando os olhos para qualquer tipo de lazer ou passatempo? Concentrando-se unicamente nos labores do trabalho missionário, nas horas de leitura e estudo da palavra? Parece pouco provável.

Unindo as duas hipóteses, buscando o equilíbrio, parece que começamos a enxergar algo mais sólido. Na verdade, ainda emerge uma terceira, bastante coerente. Primeiro: devemos dedicar tempo ao estudo e ao trabalho missionário, porque é isso que nos faz cristãos de verdade, e não apenas pessoas com um título, como a maioria dos cristãos no mundo. Segundo: devemos ter nossas horas de lazer, descanso e diversão. Deus nos ama, aliás, Ele é o próprio amor, e isso já garante que Ele queira nossa felicidade. Terceiro: cabe a nós saber organizar sabiamente nosso tempo, dando prioridade total a quem merece o primeiro lugar em todas as coisas, sempre.

Uma coisa eu sei. Um dia quero sentar num desses estádios, puxar um cobertorzinho, pedir dois cachorros quentes e assistir bem calmo, acordando a Daiane de vez em quando. Vai entrar para a to do list das viagens. Aliás, os Red Sox ganharam.

EA na Floresta

11 abril 2008

 

No sábado passado, o EA esteve na igreja da Floresta participando do louvor nos cultos e na Escola Sabatina, mas o pastor Marcos Júnior não pode assistir o grupo cantando porque estava na maternidade recebendo seu filhinho Wiliam. Pastor, parabéns e um abração do Entre Amigos!

Quem é Jesus?

11 abril 2008

 

LiçãoEntre todos os que foram imortalizados ao longo de milênios nas páginas da história, Jesus de Nazaré teve o mais breve período de ministério público. Só três anos e meio. Mas que três anos e meio foram estes!

 

Sócrates ensinou por quarenta anos, Platão por 50 e Aristóteles por 40 anos. Jesus, nem mesmo por quatro. Mas o impacto do breve ministério de Cristo excede infinitamente os 130 anos somados desses três gigantes gregos.

 

Alguém escreveu que “as maiores pinturas de Rafael, Michelangelo e Leonardo da Vinci não passam de reflexos de Jesus, a Luz do mundo. Haydn, Handel, Bach e Mendelssohn deram ao mundo suas melhores melodias nas sinfonias e oratórios que escreveram para glorificar Jesus Cristo. A arte, a cultura, a música e a filosofia – todas foram enriquecidas por Seus ensinos. Mas cristo oferece muito mais que filosofia, arte e música. Essas não podem salvar, Jesus oferece luz, vida e salvação aos homens pecadores”.

 

Os trechos acima são da Lição da Escola Sabatina, um material com estudos diários que a cada trimestre aborda um assunto diferente sobre a Palavra de Deus. Na semana passada começamos a estudar o Maravilhoso Jesus: quem foi Ele, o que ensinou, o que fez – e o que está fazendo agora. Você pode acompanhar este estudo no site da CPB e na Rádio Novo Tempo, em Lições da Bíblia. Se quiser também pode comprar sua lição pelo fone 0800 9790606 e recebê-la em sua casa.

 

A cada sábado recapitulamos estes estudos, às nove horas, em todas as Igrejas Adventistas do Sétimo Dia, procure a que fica mais perto de sua casa, você é nosso convidado!

EA – Companhia de Viagens

10 abril 2008

Existem muitos prazeres que ainda não desfrutei com boca cheia no alto dos meus quase 25 anos. Um de menino era o video game. Assistia aos outros meninos com seus mega drives, phanton systems, super nintendos, neo geos da vida com muita cobiça. Provavelmente teve uma razão para isso acontecer. Pode ser que eu tenha me salvado de virar um zumbi em eterna síndrome de abstinência, sem conhecer a luz do sol.

Hoje, divido com a Daiane a vontade de viajar muito. Coisa que ainda não pudemos fazer. Acho que é um dos privilégios mais menosprezados pelos que isso podem fazer. Pelo menos é o que me parece, aqui no meu cantinho escuro de recalcado. Imagino sempre que se pudesse viajaria muito. Conheceria todo o mundo; Europa, África, EUA, Ásia, Oceania, nossa América Latina.

Refletíamos no último fim de semana como o EA é viajado. Mesmo que – isso ainda vai mudar! – as viagens do próprio grupo tenham acontecido pouquíssimas vezes. Uma pequena listinha: nos EUA, temos a Gissela e a Marília; a pouco a Juliana aportou na Cidade do Cabo, por onde já passou antes a Lolô; há poucos dias também a Kielci e o Rodrigo fizeram sua própria tour pelo Brasil, daqui ao Recife e de lá pra cá; ano passado a Neguinha passou mais de uma semana na Espanha; a Annie e o Harrison em Janeiro estavam no Chile. Ah, como poderia esquecer, a viagem próxima mas definitiva do Fábio para Pelotas!

Nesse meu recalque, estamos nos programando para visitar a Marília ano que vem. Com muito esforço. Teremos que esperar um pouco para conhecer todos os outros lugares com que sonho. Mas uma certeza eu tenho, se não for aqui, será depois, sem o auxílio das asas pesadas de metal dos aviões, mas com as minhas próprias: eu vou viajar muito.

O Homem Épico

7 abril 2008

Faleceu nesse fim de semana o grande ator americano Charlton Heston. Conhecido por seu papel de Moisés em Os Dez Mandamentos, foi premiado com o Oscar pelo épico Ben-Hur. Outros, como eu, viram-no pela primeira vez no famoso filme de ficção científica: O Planeta dos Macacos.

Controverso, Heston nunca se ateve apenas aos seus papéis. Defendia o porte de armas ao mesmo tempo que se posicionava contra o aborto. No passado, foi uma forte voz na defesa dos direitos civis e contra a segregação racial. Mas deixou sua marca mesmo, representando papéis definitivos com sua voz grave em filmes épicos.

Se puder, assista:
Os Dez Mandamentos – Filme biográfico da vida de Moisés.
Ben-Hur – Epopéia de um mercador judeu tornado escravo por um oficial romano que era seu amigo na infância.

Separe bastante tempo – e que não seja de noite – porque os filmes são longos.

EA na África

5 abril 2008

Se não vamos todos, pelo menos temos uma representante :o) ! Esta semana a Juliana se despediu de PoA e partiu para África do Sul. Ela foi como missionária, através da Conferência Geral, da IASD, e vai trabalhar, até dezembro, na biblioteca do Helderberg College e estudar inglês.

 

Mas ela promete aos leitores da Série 5 minutos que vai continuar enviando textos para o nosso blog.

 

Ju, conta pra nós, o que tu estás achando da viagem até agora?

Transformação

4 abril 2008

Muitos cristãos deixam de testemunhar as boas-novas por várias considerações:
“Não sei o que dizer.”
Não é o conhecimento intelectual das Escrituras que qualifica você a testemunhar. Jesus escolheu os evangelistas não pelo volume de informações que detinham mas pelo poder de Deus que eles tinham visto e experimentado em sua própria vida.
“Não quero ser inconveniente.”
Compreensivelmente, as pessoas são resistentes a desafios abertos às suas convicções religiosas. Mas quase ninguém rejeita as simples expressões de boas-novas – por exemplo, “Deus está com você, Ele tem amor por você e vai resolver seus problemas, a morte não é o fim.” Depois de dizer essas boas-novas a alguém, vai parecer natural convidar essa pessoa para uma comunidade (sua igreja) que está cheia de boas-novas.
“Por que eles me ouviriam?”
Só há uma razão: eles vêem em você algo que desejam ter em sua própria vida. Como Jesus disse a um homem: “Vai para tua casa, para os teus. Anuncia-lhes tudo o que o Senhor te fez e como teve compaixão de ti” (Mc 5:19).


 Lição da E. S. 1º Trim-2008_Adultos-Prof. l Transformação l p. 156

Série 5 minutos (num 12)

Basquete de Domingo

3 abril 2008

Vida por Vidas

1 abril 2008

vidas.jpg 

Enquanto muitos aproveitam o feriado de Páscoa pra descansar ou “correr atrás do coelhinho”, o pessoal do projeto Vida por Vidas tira esses dias pra ajudar aos outros. Há alguns anos eles tiveram a idéia de promover campanhas de doação de sangue e assim conscientizar as pessoas para os sentimentos que realmente devem nos motivar nesta época que são a solidariedade e a gratidão a Deus por ter nos enviado um Salvador que derramou seu sangue por nós.

Qualquer pessoa é convidada a se engajar no projeto, com doação ou participando na divulgação e ainda dá pra participar. Maiores informações são encontradas no site do Vida por Vidas.