Archive for novembro \30\UTC 2007

Historinha do começo do EA

30 novembro 2007

Capítulo 5 – 24 de maio de 1997- o dia ‘D’

O Grupo Celebração era composto por membros de diversas Igrejas Adventistas da grande Porto Alegre. Tinha gente do bairro Sarandi, da Floresta, da Central, do Camaquã, do Parque dos Maias, da cidade de Taquara, de Alvorada e de Gravataí. Na época era difícil ter celular, internet, e-mail e msn não eram meios de comunicação tão comuns quanto hoje, então depois de sair da Floresta na sexta à noite ninguém se falou. No sábado de manhã cada um foi à sua igreja, (eu era o único que ia na central) e a expectativa era grande por chegar as 15 h de sábado e saber quem tinha ido ao ensaio e quem não tinha ido…

Neste mesmo dia eu tinha uma reunião pra depois do ensaio na casa da Rúbia, para desenvolvimento e ensaio de um Jampar que ia acontecer na FAMG em poucas semanas. Depois de muita reflexão e de conversar com meu irmão (que me acompanhava sempre com o grupo), não fui ao ensaio e fui só à reunião, admitindo assim o meu desligamento do Grupo Celebração. Acho até que fui mais cedo pra casa da Rúbia. Estávamos esperando o pessoal pra reunião e também pra saber quem foi e quem não foi. Era aflitivo pensar que só eu não tinha ido, e eu pensava isso o tempo todo. Já estava quase arrependido.

E(ntrevist)A

29 novembro 2007

fabio.jpg

Nome: Fábio Ostrowski
Voz: Tenor
Idade: 30
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=2971347165057299056 

Meu mp3 toca agora: Nada específico, de tudo um pouco.
Ouvir essa pessoa cantar é demais: David Phelps
No céu, quero ouvir de Jesus: “Obrigado por aceitar o meu amor, e hoje eu posso te abraçar.”
Quero ver no céu: Minha família e os heróis da fé.

Essa só foi uma introdução, continue a entrevista perguntando nos comentários. Por favor, espere a resposta para fazer outra pergunta. Atenção! A próxima entrevistada será Annie Reis (quase Nagel)!!

‘…Completamente livre…’ (parte II)

28 novembro 2007


Ex-EAs no Paraná


Como disse antes, estive no dia 29 de outubro no IAP para assistir O LIBERTADOR. Na realidade fui pra ver o faraó! eu explico… é que meu irmão, Cleiton, foi o faraó da cantata. Encontrei por lá também o Duda, os dois são ex-EAs e atualmente cantam no Compasso Livre, aqui tem um vídeo da participação deles na cantata. Muito bom guris, um abraço.

andrelibert.jpg 

Encontrei também dois ex-EAs que moram e trabalham em Maringá, a Mônie e o Didio, que estavam hospedando a minha amiga Keila (ali na foto). Pena que não deu pra conhecer a nenê deles, muito bom vê-los. Ah, e está por lá também o Márcio Smolen, que trabalhou comigo aqui na ASR e agora está no IAP, foi ele que ‘clickou’ nossa foto e mandou as informações e fotos do musical, valeu.

Lucas 1:38

27 novembro 2007

Disse, então, Maria: Eu sou a serva do Senhor. Cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela.

Série 5 minutos (num XLIII)
“Fixe os pensamentos no Salvador. Saia à parte, do burburinho do mundo, e assente-se sob a sombra de Cristo. Então, em meio ao ruído da labuta e conflito diários, sua força se renovará.” Ellen G. White, Nos Lugares Celestiais, pág. 62.

Como Qualquer Domingo

26 novembro 2007

basquete.jpg

Passar o começo de um bonito domingo no meio do arvoredo pode parecer bem relaxante e confortável, mas não nesse caso. É nada disso e ao mesmo tempo muito mais. É nessa hora que nos reunimos para some serious basketball!

Sabe como é: suor, esforço, sofrimento nas juntas e muita risada. Além disso tudo, quando o fôlego acaba, estamos respirando o ar das árvores do Parcão. Não podia ser melhor.

Portanto, se você quiser levar alguns tocos, não esqueça de aparecer no Parcão qualquer domingo desses.

Escavando a verdade

25 novembro 2007

escavando.jpgAproveitei que hoje tinha Casa Aberta On-line (uma promoção da Casa Publicadora Brasileira que acontece todos os anos) e comprei o novo livro do Dr. Rodrigo Silva, Escavando a Verdade. Como é lançamento, não sei de ninguém ainda que tenha lido pra me recomendar, mas nem precisa, o Rodrigo é fera e só escreve livros bacanas.

O site da Casa diz o seguinte sobre o livro: “A escavação é um ponto de partida. A verdade é o único objetivo final que realmente interessa. Entre estes dois extremos cabem: aventuras, descobertas, polêmicas e conclusões. Se isto é contado através de uma narrativa cativante e ilustrado com fotos e mapas, o resultado só pode ser um livro extremamente agradável e informativo.”

Ficou curioso? Encomenda um livro no www.cpb.com.br e depois conta pra gente se gostou…

DVD Novo Tom

24 novembro 2007

novotom.jpg

Hoje e amanhã o Novo Tom, do Unasp, estará gravando um DVD nos estúdios da Novo Tempo, em Jacareí, SP, com venda de ingressos aberta ao público. Quem estiver interessado pode pegar mais informações no site grupo.

Nesta eu queria muito ir, pena que estou tão longe… mas quem puder assistir, nos conte depois como foi, ok?

Por que não te cala?

23 novembro 2007

Todo mundo viu e se não viu ainda pode ver no YouTube o rei Juan Carlos fazer esta simples pergunta ao presidente venezuelano Hugo Chávez durante uma inflamada discussão do ditador com o primeiro ministro espanhol Luiz Zapateiro.

O mesmo senhor já havia deixado o presidente Lula de calças curtas ao chamá-lo de barão do petróleo. Parece que o cara está se sentindo o verdadeiro dono do mundo. Vendo e lendo sobre isso me veio na cabeça a história relatada na Bíblia, de quando Satanás reivindica o corpo de Moisés e o arcanjo Miguel lhe responde: – “O Senhor te repreenda!” (leia a história no livro de Judas na Bíblia on line)

Longe de mim comparar o Rei Jesus ao rei Juan, o primeiro é o único que tem autoridade pra repreender alguém. O fato é que naquele momento, bem como neste, todos estavam torcendo muito pra escutar uma manifestação que colocasse os que se acham donos do mundo no seu devido lugar.

E(ntrevist)A

22 novembro 2007

leo.jpg 

Nome: Leonardo Magalhães dos Reis
Voz: Rouca
Idade: 19
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=11402765274364827980

No meu mp3 toca agora: Djavan, Take 6, muita coisa, e claro, ENTRE AMIGOS
Ouvir essa pessoa cantar é demais: Tinga
No céu, quero ouvir de Jesus: “Meu filho amado, morri por você e agora você está aqui.”
Quero ver no céu: Paulo

Essa só foi uma introdução, continue a entrevista perguntando nos comentários. Por favor, espere a resposta para fazer outra pergunta… e entrevistado, por favor responda com sinceridade e presteza! Atenção! O próximo entrevistado será Fábio Ostrowski!! Prepare as perguntas mais afiadas.

Bienal

21 novembro 2007

bienal.jpg

“Uma obra de arte transmite um certo comportamento do artista, mas também serve como ponto de partida para impulsos que, muitas vezes, alcançam magnitudes impressionantes em transmissões subseqüentes.” – George Kubler

Neste último domingo, a 6ª Bienal do Mercosul, encerrou suas atividades. A mostra contou com a participação de 67 artistas de 23 países reunindo cerca de 350 obras, distribuídas no Santander Cultural, no Margs e no cais do porto. A exposição no cais do Porto estava separada em três mostras, Conversas, Zona Franca e Três Fronteiras.

Visitei a bienal duas vezes. A primeira foi em setembro com o André. A segunda no último dia, domingo, fomos o Maurício, a Daiane , o André e eu.

tvs.jpg

Gosto muito de passear por esses eventos culturais por que despertam vários sentimentos e inquietações. Da primeira vez foi mais sentido, claro, até falei sobre isso no PG e no culto do grupo. Vi cores lindas, pessoas bonitas, vivências totalmente diferentes da minha e sofrimento. Principalmente na obra que retrata fatos da Guerra do Vietnã, as pessoas na guerra e como ela afetou os soldados e os civis. Sofrimento que aparece, hoje ainda, nos seus descendentes. Pensei na minha família, nos amigos, e em como Deus tem sido bom nos livrando de coisas como essas. Como é bom ver as cores e as criatividades. Fazer coisas novas, ver coisas novas. Conversar. Cantar.

Bom, quem viu, viu. Quem não viu, pode entrar no site, ou então, esperar dois longos anos.

Uma Lição da Vida de Moisés

20 novembro 2007

Considerai a experiência de Moisés. A educação que recebera no Egito como neto do rei e futuro herdeiro do trono era esmerada. Nada se omitiu do que se imaginava poder fazê-lo um sábio, segundo a maneira pela qual os egípcios entendiam a sabedoria. Recebeu a mais elevada educação civil e militar. Sentia que estava perfeitamente preparado para a missão de libertar da escravidão a Israel. Mas Deus julgou doutra maneira. Sua providência destinou a Moisés quarenta anos de experiência no deserto como pastor de ovelhas.

A educação que Moisés recebera no Egito foi-lhe de grande auxílio sob muitos pontos de vista; mas a preparação mais valiosa para o trabalho de sua vida foi a que recebeu quando empregado como pastor. Moisés tinha por natureza um espírito impetuoso. No Egito, como bem-sucedido chefe militar e favorito do rei e da nação, estava acostumado a receber louvor e adulação. (…) Esperava realizar por suas próprias forças a obra da libertação de Israel. Muito diferentes eram as lições que como representante de Deus devia receber. Conduzindo seus rebanhos pelas montanhas selvagens e pelos verdes pastos dos vales, aprendeu a fé, a mansidão, a paciência; humildade e abnegação. Aprendeu a cuidar dos fracos, tratar dos doentes, procurar os transviados, suportar os turbulentos, vigiar os cordeiros, e alimentar os velhos e débeis.


Nesta obra, Moisés era atraído para mais perto do Bom Pastor. (…) Não projetou mais fazer uma grande obra. Procurava fielmente cumprir, como sob o olhar de Deus, a obra a ele confiada. Via a presença de Deus em tudo que o rodeava. A Natureza inteira lhe falava do Ser invisível. Reconhecia-O como Deus pessoal, e meditando sobre Seu caráter compenetrava-se mais e mais do sentimento de Sua presença. Encontrava refúgio nos braços eternos.
Após esta experiência, Moisés ouviu a ordem do Céu para trocar o cajado de pastor pela vara da autoridade; deixar o rebanho de ovelhas e encarregar-se da condução de Israel. O divino mandato encontrou-o desconfiado de si próprio, tardo na fala, e tímido. Estava estupefato pelo sentimento da sua inaptidão para ser o porta-voz de Deus. Mas aceitou esta obra depondo inteira confiança no Senhor. A grandeza desta missão pôs em exercício as mais altas faculdades de seu espírito. Deus abençoou a sua pronta obediência, e Moisés tornou-se eloqüente, esperançoso e de espírito equilibrado, preparado para a maior obra jamais confiada aos homens. Dele foi escrito: “E nunca mais se levantou em Israel profeta algum como Moisés, a quem O Senhor conhecera face a face.” Deuteronômio 34:10.
 
Ellen G. White l A Ciência do Bom Viver l p. 474-475 

Série 5 minutos (num XLII)
“Fixe os pensamentos no Salvador. Saia à parte, do burburinho do mundo, e assente-se sob a sombra de Cristo. Então, em meio ao ruído da labuta e conflito diários, sua força se renovará.” Ellen G. White, Nos Lugares Celestiais, pág. 62.

Encantar não Basta

19 novembro 2007

Viver da música, ou morrer tentando. No Brasil, sobreviver de Direitos Autorais é uma piada sucedida de risadas com gosto. Talvez subtraídos os principais nomes da música brasileira – em fama e sucesso, não em qualidade – a grande soma de músicos, compositores, arranjadores e intérpretes, põe a voz em falsete quando se trata das contas a pagar.

Como chuveiro não paga ingresso, a resposta é cantar a reveria e correr atrás de patrocínios e parcerias. Mas o que fazer quando somos cantores religiosos? (tentei, mas cantores góspeis não soou legal.) Não cobramos ingresso, não cobramos cachê e ainda copiam os nossos cds.

Olha gurizada, adoraria terminar esse post com uma resposta milagrosa, mas me desculpem, não vai dar. Quando acharem uma, aliás, por favor me mandem urgente!!

‘…Completamente livre…’ (parte 1)

16 novembro 2007

iap10.jpg

O musical – No dia 29 de outubro, estive no IAP – Instituto Adventista Paranaense – para assistir à gravação de um dvd muito especial, o musical O LIBERTADOR, de Jader Santos, que conta a história da libertação do povo hebreu do Egito por meio do líder Moisés.

O musical foi preparado para as comemorações dos 68 anos do IAP e contou com a narração de Sérgio Azevedo e a participação especial de Cid Moreira, além de um coral de 150 vozes, uma equipe de 50 atores, formada por alunos e funcionários da instituição, e um excelente grupo profissional de teatro cristão. O repertório da peça foi executado pela Orquestra Filarmônica da Cidade de Praga, sob regência do mastro Carl Marsh, de Nashville, EUA, e gravado especialmente para o musical no Estúdio da Barrandov em Praga, República Tcheca.

Durante a apresentação teve troca de cenário simultâneo à dramatização, foram seis painéis, sete câmeras, som 5.1 e muita luz. O figurino foi confeccionado com mais de 600 m de tecido. A apresentação teve duração de 1 hora e foi primorosa e emocionante.

iap11.jpgiap12.jpgiap13.jpgiap14.jpg

Assisti às duas sessões executadas, na primeira eu tentei fotografar alguma coisa (sem flash) e fazer um pequeno filminho, pra tentar pôr aqui no blog, na segunda eu só curti, afinal foram mais de 2200 km rodados (saí de PoA, fui à Palmeira, onde peguei meus pais, subi pelo oeste catarinense, Cascavél… Maringá… o mesmo caminho de volta…) e que foram muito recompensadores. A música, o trabalho, o empenho foi tudo acima da média, como sempre devia ser o trabalho que fazemos para o nosso Deus. E pensar que ele começou a ser composto em julho deste ano… Parabéns ao IAP.

* colaboração de Márcio Smolen

Historinha do começo do EA

15 novembro 2007

Capítulo 4 – O dia C (porque foi antes do dia D)

De volta à Porto Alegre na semana seguinte, na sexta-feira, estávamos no ensaio e, não lembro como, o assunto surgiu. Na pauta estava – a vontade de fazermos aquele trabalho musical mais autoral, e junto com este assunto também surgiram idéias que realmente não eram adequadas àquele contexto, como pedir a substituição do diretor do grupo, a inserção de um diretor musical com autonomia e uma longa, maçante e dolorosa ‘D.R.’ (discussão da relação)…

Sente só a situação ‘sem noção’ em que nos colocamos>>> estávamos dizendo que o nosso diretor, que organizou o grupo, que escolhia e garimpava as músicas, corria atrás das apresentações conseguindo espaço até na tv, que dedicava seu fim de semana e envolvia sua família numa história que ele acreditava e amava, que considerava cada componente como membro de sua família, era insuficiente e cabeça dura.

A reação não podia ser diferente. Depois de tudo dito e ele apenas ouvir ele começou a falar. Muito chateado com a situação ele respondeu algumas poucas declarações, esclareceu qual a razão de ser do grupo que ele dirigia e disse como seria dali pra diante. Os que estivessem dispostos a aceitar aquelas idéias deveriam ir ao ensaio do sábado e os que não estivessem de acordo não deveriam mais ir. Isto foi forte.

Foi um momento desgastante. Todos foram embora sem comentar o que aconteceu, pois uns tinham horário de ônibus, outros dependiam de carona e outros apenas não queriam falar. Faltava então 12 horas para o desfecho daquela situação.

Onde está o teu tesouro?

14 novembro 2007

Annie, Bia e Neguinha cantam sobre um Tesouro no final da jornada, acompanhadas pelo Fábio ao violão. Vale a pena conferir…

Acapella em PoA

13 novembro 2007

acapela3.jpg

O Acapella esteve em Porto Alegre no último domingo, e o Entre Amigos mandou representantes para conferir. O espetáculo foi bem divertido, com mais atributos lúdicos do que musicais. Digo isso porque na última vez que passaram por aqui, com outra formação, em quarteto, apresentaram uma melhor performance, atendendo mais satisfatoriamente as expectaticas do público que aprendeu a gostar deste estilo musical. Penso que a qualidade vocal caiu muito deste então.

Desta vez, o agora quinteto se esforçou para animar uma platéia vazia. O público, que era de menos de 30 por cento da capacidade do teatro da PUCRS, ficou dividido e distante, já que a produção do evento não permitiu que o pessoal da platéia alta e do mezanino ocupassem os lugares vazios na platéia baixa. Perdeu-se, assim, em calor humano e empolgação. 

Alguém pode dizer: – Muito justo, fique sentado no lugar pelo qual você pagou. Acontece que o preço para a primeira fila era de 60 reais e o ingresso para estudante no mezanino estava sendo vendido a 30 reais. Pelas leis do país, estudante deve pagar a metade do preço, não interessa se foi dado desconto ou não – desculpa usada pela produção. Então, o justo seria que os estudantes do mezanino ocupassem os primeiros lugares. Outra coisa é que, diante de um fracasso de público, não custava nada ser legal com os valorosos presentes. 

Confusões da produção à parte, o Acapella foi muito simpático e, ao final do show, mesmo não tendo mais CDs para venda – já havia vendido todos os 500 que trouxera para a turnê pelo Brasil – deu autógrafos e fotografou com todos que se dispuseram a encarar uma enorme fila. Nós tivemos sorte e pegarmos a fila quando ainda estava no início. Olha aí a nossa foto :o)

acapela.jpg

O bacana do show, mesmo, foi a participação de Keith Lancaster, ex-integrante e fundador do Acapella. Esse sim ensinou a gurizada a cantar… No blog dele tem fotos de toda a turnê no Brasil, vale a pena fazer uma visita.

 acapela2.jpg

 

Meu Lugar!

12 novembro 2007

ceu21.jpg

“Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também.” João 14:1-3

A esperança do céu é uma história linda. É algo ligado diretamente à volta de Jesus. Para nós, não há um sem o outro, mas no entanto parece que nos comportamos como se ela não passasse de uma história. Uma lição de certo e errado, um fim bonito para quem se comportou direitinho.

O céu é muito mais do que isso. É uma realidade proferida pela boca de Jesus, “se assim não fora, eu vo-lo teria dito” e eu não tenho nenhum motivo para duvidar dEle. E o melhor de tudo, Ele me conhece muito bem e está preparando o meu lugar! Como posso recusar esse convite?

Historinha do começo do Entre Amigos

8 novembro 2007

Capítulo 3 – Juventude orientada

O palestrante principal daquele encontro foi o Dr. Eduardo Clajus, ele foi ótimo. Nós, jovens, inexperientes, com conflitos latentes e buscando por uma luz procuramos o Dr. Clajus, que além de tudo era músico, para nos aconselhar. Estávamos quase certos que aquele experiente senhor nos colocaria em nossos lugares e diria que o que estávamos fazendo era procurar encrenca e que devíamos acabar com aquela rebelião inconseqüente. Nosso principal medo era que estas idéias causassem brigas e isso pudesse anunciar o fim do grupo. Não queríamos isso. 

Ele, muito adequadamente, disse que o que estava acontecendo não era algo do mau. Era um movimento positivo e devia ser discutido. Caso não chegássemos, com todos, em um acordo, nós deveríamos encarar isso não como uma divisão, mas como uma multiplicação. Afinal, ao invés de apenas um grupo fazendo um bom trabalho, seríamos dois grupos fazendo bons trabalhos de modos diferentes. Embora ‘multiplicar’ não fosse o que cogitávamos, ouvir aquilo foi como tirar o peso do mundo das nossas costas. Agora precisávamos conversar com os outros sobre estas idéias, e torcer para que eles as compreendessem e aceitassem.

Anderson Ramos

7 novembro 2007

capa_anderson_ramos.jpgSeguindo a linha do recomendo, mais um cantor com trabalho recente que merece uma boa ouvida é Anderson Ramos – dizem que Geta para os íntimos – com Eu Acredito. Se o cd tivesse apenas as primeiras duas músicas já compensaria qualquer esforço para consegui-lo. São muito boas! O resto podia entrar como bonus track, porque também, claro, são de mesmo nível de qualidade. A música que intitula o primeiro trabalho solo de Anderson, Eu Acredito, é de autoria de Jader Santos, o sempre lembrado ex-pianista/diretor do Arautos do Rei, grande e talentoso compositor. O barítono seguiu a linha, também pegou a Bic e escreveu Eu te seguirei. 

Quer um conselho? Bota o cd no aparelho, fecha os olhos e escuta assim mesmo desde a introdução, a letra do Jader na voz do Geta fechou todas.  

Uma curiosidade: sabe a música A minha esperança, do Coral Jovem do Iasp? Pois é, solo gravado pelo nosso amigo aí…

O número premiado

5 novembro 2007

filipe2.jpgDeus sabia o número do telefone e contou pra ela em sonho! Foi incrível!

Estávamos sentados ao redor da mesa com a Bíblia aberta por cerca de vinte minutos. Era uma sala simples com móveis de madeira já desgastados pelo tempo. Alguns santos católicos pendurados na parede. Apesar de ser uma manhã ensolarada de domingo, o interior da casa parecia um pouco sombrio. Eu estava sentado e ao meu lado havia uma estante com alguns poucos livros. No chão, um tapete velho e sobre ele duas crianças de oito e dez anos brincando. Elas estavam esperando eu terminar o estudo bíblico com sua mãe, a dona da casa, e sua avó, uma senhora simpática, mas que se não a interrompesse passava o dia todo falando. De repente o telefone toca. O estudo pára. A dona da casa atende. Parecia um telefonema comum. Talvez um amigo ou parente. Mas nem imaginava o que Deus estava fazendo. A senhora disse: “Alô”. Ficou em silêncio por alguns momentos. De repente ela disse: “Eu acho que isso é um milagre de Deus”.
 

Era o mês de setembro do ano 2000. A conferência evangelística estava começando na cidade de Talca, sul do Chile. A experiência de servir como instrutor bíblico em um país estrangeiro estava sendo incrível. Nova língua, nova cultura, novas pessoas, tudo era muito interessante. Desde pequeno havia escutado histórias emocionantes de campos missionários e sempre havia tido o desejo de passar por algo assim. Mal podia acreditar. Com a ajuda dos irmãos eu já estava cuidando de mais de setenta estudos bíblicos. As conferências ocorreriam dentro de poucas semanas e o preparo deles era meu trabalho diário. Mas entre todos os estudos, naquele ocorreu algo diferente. Já havia visitado algumas vezes aquela família. Estudava primeiro com a mãe a e avó, e logo com as crianças. Todos eram bem receptivos e eu estava bem animado com seus progressos a cada domingo. O estudo ia normal até tocar o telefone. 

De volta a cena.
Mais uma vez a senhora ficou em silêncio por alguns instantes. Logo disse: -Eu sou evangélica. Minha mãe é católica e estamos estudando a Bíblia com um rapaz adventista. Ouviu mais um pouco e se despediu. Logo então veio me contar o que havia ocorrido. Disse ela: “-Olha que interessante!”. E me contou que uma senhora, que ela não conhecia, havia ligado e as duas conversaram o seguinte:
-Alô.
-Alô. Respondeu a dona da casa.
-Eu sei que pode parecer estranho o que vou contar, mas espero que me escute. Ontem à noite tive um sonho. E nesse sonho eu via somente um número de telefone. Acordei hoje cedo pela manhã com ele na cabeça. Tentei não dar importância, mas não consegui. Parece que algo me impulsionava a ligar. Fiquei curiosa, decidi discar o número e você atendeu. Desculpe o incômodo. Isso parece loucura, você não acha?
-Eu acho que isso é um milagre de Deus.
-De que religião vocês são?
-Eu sou evangélica. Minha mãe é católica e estamos estudando a Bíblia com um rapaz adventista.
-Adventista! Tenho uma sobrinha adventista. Vou falar com ela. Muito obrigada pela conversa.

As duas se despediram e a dona da casa veio me contar o ocorrido. Eu não dei muita importância no momento porque o meu tempo era curto devido à quantidade de estudos e porque eu sempre fiquei um pouco “com o pé atrás” em aceitar estes tipos de milagres e manifestações divinas. Os dias passaram e eu me esqueci do ocorrido. As conferências estavam acabando e muitas pessoas haviam sido batizadas. Era meu último sábado em Talca. O culto havia terminado e eu estava sentado enquanto todos deixavam a igreja quando, de repente, alguém tocou o meu ombro. Era uma das jovens da igreja. Eu a cumprimentei e ela disse:
-Filipe, gostaria de te apresentar a minha tia. Ela quer contar pra você uma história.

Sentamos-nos e ela começou a contar:
-Há algum tempo atrás eu sonhei com um número de telefone…
Escutei a história e quase não podia acreditar! Era a mesma senhora que havia ligado naquela manhã de domingo! Esta era a primeira vez que ela visitava a igreja. Disse haver gostado muito do culto e queria conhecer mais sobre Cristo. Ela se emocionou ao saber que eu era o jovem que estava dando estudos bíblicos no dia do telefonema. Foi incrível como o Espírito Santo a conduziu a verdade, e eu fiquei muito grato a Deus por ter presenciado aquele milagre. 

Estamos vivendo nos últimos dias da historia deste mundo. As pessoas estão sedentas pela Palavra de Deus. Muitos andam perdidos pela vida esperando alguém que os indique o caminho. Deus esta usando todos os meios para salvar os seres humanos, e ele quer usar você também. Somos instrumentos nas Suas mãos. Está você disposto a deixar-se usar por Cristo?

Esta história está relatada na revista ConexãoJA de Out-Dez, 2007, o autor, Filipe Jardim, serviu como estudante missionário em vários países e atualmente é pastor em Santa Catarina.